Início arrow Sinttel-MG arrow História

Belo Horizonte 19-Nov-2017
   
Clique no vídeo para iniciar
--------------------------------------------------------------

Veja mais vídeos...

Cadastre para receber as nossas notícias



Sinttel - História PDF Imprimir E-mail
SINTTEL, O SEU SINDICATO
 

O Sinttel/MG surgiu em janeiro de 1956, antes mesmo da Telebrás. Representava os trabalhadores da empresa de telecomunicações que operava em Minas Gerais, que à época chamava-se CTB (Companhia Telefônica Brasileira). Atualmente representa os empregados das empresas de telecomunicações em Minas.
 
Em maio de 1980, um grupo de trabalhadores que militava no movimento popular contra a ditadura militar, foi eleito para compor a diretoria do Sinttel, que tomou um novo rumo. As condições de trabalho nas empresas e os benefícios que a categoria conquistou são resultados desse período. Entre eles, destacamos o adiantamento quinzenal de salários, o aumento do valor de remuneração das horas-extras, o direito de defesa para trabalhadores ameaçados de punição, o auxílio creche e alimentação, a assistência médica a cargo das empresas e o anuênio.
 
O Sinttel também participou de grandes momentos da história recente do País. Esteve presente na campanha pelas Diretas em 1984, defendeu os interesses dos trabalhadores na Constituinte de 1988, batalhou pelo impeachment de Collor e atuou ao lado de muitos sindicatos mobilizando a sociedade contra a revisão constitucional em 1990. Abriu as portas para a comunicação virtual no movimento sindical, sendo o primeiro Sindicato do País a possuir uma página na internet, em 1996. Vivenciou o duro processo de privatização das teles, em 1998, agindo em defesa da proposta da Brasil Telecom, que deveria fortalecer o poder econômico e político do País, num mundo globalizado. O Sinttel acredita que o transporte da informação, bem mais importante do século XXI e base da cidadania, não deveria ser desnacionalizado, por acarretar prejuízo para a sociedade brasileira, transferindo para o exterior parte dos lucros e das decisões reais sobre as telecomunicações nacionais. Hoje, a sociedade sente na pele as conseqüências do processo de privatizações: atendimento ineficaz e menos qualificado, um grande número de demissões e a pulverização dos empregados em pequenas empreiteiras à custa de salários mais baixos e perda de benefícios trabalhistas.
 
O Sinttel também fez parte da história da CUT - de sua fundação aos dias de hoje. Em 1985, em conjunto com um grupo de sindicatos, rompeu com a federação oficial (Fenattel) para criar a Fittel (Federação Interestadual dos Trabalhadores em Telecomunicações) - que atualmente aglutina 20 sindicatos em todo o País. Continuamos lutando para que os trabalhadores não sejam prejudicados por projetos governamentais que alterem as históricas vitórias trabalhistas conquistadas pelos trabalhadores nas últimas décadas, como no caso do projeto de lei do governo federal que visa alterar a CLT, e pelo patrimônio público brasileiro
 
O currículo do Sinttel foi viabilizado, é claro, pela categoria. Nos tempos áureos, o Sindicato atingiu um índice de 80% de sindicalização, um dos mais altos do Brasil. E apesar das demissões, o Sinttel possui um percentual de sindicalização que ainda permanece acima da média nacional, tendo em vista várias categorias profissionais. Prova de sua credibilidade entre os trabalhadores. Afinal, são eles que fazem o Sinttel e consagram a sua história.